segunda-feira, fevereiro 27

o frio entra devagar pela janela

e há um momento de luz

na escuridão do quarto.

o frio é o arrepio que

traz o papel para perto

e faz a caneta deslizar

em rabiscos rápidos

o mundo continua longe de mim

as pessoas que amo existem

na distancia

bem como as que não conheço.

e universos como o meu

ou completamente diferentes

o arrepio passa

eu guardo a caneta

fecho a janela

e volto ao paraiso de não pensar

de não ler, de não escrever.

enrolo-me nos lençois e penso coisas felizes

até sonhar com o que amo.

Barnabé Santiago

24/01/06

2 Comments:

Blogger conteúdo latente said...

em relação a esse paraíso, não te tenho novidades absolutamente nenhumas.
deixa-te ir arrepiando...

segunda-feira, fevereiro 27, 2006 1:18:00 da manhã  
Blogger Francisco said...

quero um quartinho desses.

segunda-feira, fevereiro 27, 2006 5:13:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home